segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Dez conselhos para se dar bem em uma entrevista

1 – A roupa é muito importante. Avalie o setor da empresa que quer te contratar. Se for uma de internet ou agência de publicidade, vista a sua roupa mais estranha. Dê preferência para calças xadrex, tênis all-star e camisetas com estampas de famosos descolados, tipo Mussum, Seu Madruga, Tim Maia e Sócrates. Se for um banco de investimentos, compre uma camisa de R$ 380 acinturada e uma gravata séria. A camisa de R$380 tem que ser aquela encomendada, com suas iniciais. Ex.: Se você é o Vitor Fasano, V.F. No caso de se tratar de uma vaga de marketing numa empresa de bens de consumo, camisa azul e aberta. Se você for mulher, use um decote na entrevista com o gerente. A entrevista com o rh não é o momento para usar aquela blusa branca pois você não pode ser mais gostosa que a entrevistadora. Lembre-se: ser gostosa é o principal “skill” para se trabalhar numa empresa dessas.

2 – Finja esquecer a pronúncia de palavras em português! Afinal, esse código linguístico é de um povoado da América do Sul e, quem quer se dar bem no Business World, não necessita desse conhecimento. Fale coisas do tipo: “Quando trabalhei na empresa Alpha, adquiri um... um... um... putz... como se fala ‘knowledge’ mesmo em português?” – isso vai impressionar.

3 – Gestos. Use muitos gestos se a entrevista for com a menininha de RH. Elas entrarão em colapso com tanta informação e julgamento: não conseguem assimilar gestos e palavras. Isso é um trunfo, rapaz!

4 – Coloque sempre um propósito profissional em todas as viagens que fez até hoje! Jamais fale que foi à Disney ou que foi passar o Reveillon em Paris enchendo a cara até cair. Além de gerar (muita) inveja, dá impressão de desleixo... Diga: “veja bem, fui a Paris no final do ano passado tentar entender como a cultura advinda da Revolução Francesa influencia as relações de negócio daquele país.”

5 – Existem alguma palavras-chave e termos que irão garantir o seu sucesso. Seja qual for o contexto, use-as: “iniciativa”, “capacidade de trabalho em equipe”, “voltado para resultados”, “versátil”, “ambição”, “perfeccionista”, “dedicação”.

6 – Jamais diga o quanto você quer ganhar. Jamais diga que gosta do horário de verão. Jamais diga que tem sonhos. Jamais diga que joga tênis às 19h30 de terças e quintas. Jamais diga gosta de férias. Jamais diga que gosta de passar um tempo com seus filhos, namoradas e amigos. Ou seja, não diga, sob hipótese alguma, verdades. A partir de agora você deve assumir seu papel de parte integrante da corporação. Seus desejos e anseios passam a ser estritamente os da corporação.

7 – Experiências anteriores: nunca desmereça o tempo que passou no Centro Acadêmico fumando maconha ou seu estágio nos fundos dos fundos do back-office do Itau. Sempre enalteça sua contribuição na empresa júnior da faculdade logo no primeiro ano, bem como as melhorias que fez nos processos de um dos bancos líderes na América Latina se reportando diretamente ao gerente. Aquelas duas semanas que passou na empresa do seu pai também contam como experiência profissional, afinal de contas você era o responsável por grande parte do gerenciamento do fluxo de caixa da empresa.

8 - Demonstre interesse: na primeira entrevista com o rh pergunte sobre o plano de carreira da empresa e se há expectativa de crescimento. Já com o gestor pergunte sobre a autonomia dos funcionarios na área e quais são as diretrizes da empresa para o proximo ano. Cite uma matéria que leu, que não se lembra bem se na Exame ou Valor (isso despistará um pouco...) sobre o mercado farmacêutico ou sobre o crescimento econômico dos Brics (use essa sigla ao inves de citar os nomes dos paises e torça para que ele nao estenda muito o assunto).

9 – Qualidades: Se mostre (lembre-se que em empresa, você não precisa ser, você precisa se mostrar), antes de tudo, um pró-ativo. Tente tomar iniciativa em tudo na entrevista. Se for possível, dê um jeito de você mesmo oferecer água ou café para o entrevistador. Sua outra qualidade-chave é o trabalho em grupo. Embora você seja o maior fofoqueiro e criador de pequenas intrigas do departamento de seu emprego atual, lembre-se que seu maior ponto forte é o trabalho em equipe, sempre ajudando seus colegas (embora sabemos que você nunca faz isso e quando faz dá um jeito de deixar bem transparecida a sua superioridade naquele assunto).
Como invariavelmente você será questionado sobre três virtudes, lembre-se que você também é um "Hands-on". Não importa o que seja isto, mas está na moda corporativa. Palavras em ingês soam bem aos ouvidos da Lu, a nossa analista de recrutamento, que brevemente ganhará um recital em nosso blog.

Quando questionado sobre seu defeitos, diga que você tem dois: perfeccionista e ansioso. Perfeccionista porque gosta de ter todas as coisas feitas corretamente e não admite erros ou falhas. E ansioso porque tem pressa de ver as coisas acontecendo. Especialmente os projetos que está tocando, ou os grupos que tem liderado...

10 - Quando o entrevistador pedir para conversar em inglês com você, tenha muito bem decorado a lista do seus hobbies. 9 a cada 10 analistas de RH tem seu inglês restrito a este tipo de pergunta. Pode ser que 1 a cada 10 estenda esta longa conversa de 3 minutos em outro idioma, questionando se você tem experiência internacional. Aí você já sabe o que dizer . .. vide 4ª conselho.

2 comentários:

Eduardo disse...

Não esqueça da importantíssima habilidade de "learn-on-the-fly"

Funcionária do Mês disse...

kkkkkkkkkkk Muito bom! adoraria poder linkar esta postagem em meu blog www.funcionariadomes.wordpress.com. Acabei de descobrir este blog e estou devorando todos os textos, parabéns a quem os escreve! E parabéns a todos aqueles que protagonizam os fatos narrados, hehehe!